quarta-feira, 30 de março de 2011

Carta para a Menina Passarinho



Fecho os olhos e me vem a primeira imagem que tive da menina- passarinho. Ela estava sobre um banco do pró-saúde devorando páginas de uma melancia. Eu, passarinho com asas de papelão fui me aproximando da menina passarinho sem saber que iríamos alçar um vôo muito bonito que se chama amizade. Lembro-me que a menina-passarinho me mostrou muitos caminhos para a minha edificação pessoal, coisa que os grandes chamam de construção da identidade cultural.

Através dela conheci um carcará de corações chamado Caio Fernando Abreu, trocamos idéias a respeito de uma águia de vôos muito rasantes n’alma que se nomeia Clarice, chupamos balas musicais de um Baleiro muito sofisticado, ciscamos pelas páginas da vida de ‘Marginal’ Satrapi e bebemos da fonte de outras tantas coisas boas e maravilhosas que a vida nos ofereceu.

Sempre te soube menina-passarinho e sempre me soube uma sortuda por tê-la conhecido. Na minha vida fui agraciada com muitos presentes e um dos melhores foi ter trilhado por alguns caminhos da vida ao seu lado.

Você, como menina-passarinho tem por destino estar sempre alçando vôos pelo mundo para em cada parte dele achar uma parte sua. Na platéia da vida, estarei sempre te aplaudindo de pé, Menina-Passarinho-Leãozinho. Até breve, até sempre!


Carta para minha amiga Bruna Guerra. Leãozinho do coração.

Um comentário:

Arkk disse...

arturo aki o/